BRONCOSCOPIA

BIÓPSIA TRANSBRÔNQUICA

Trata-se do uso da broncoscopia para se obter fragmentos de pulmão (biópsia)  por via endoscópica, ou seja, perfurando os subsegmentos brônquicos para alcancar o tecido pulmonar.
Trata-se de procedimento mais invasivo do que outros meios diagnosticos em broncoscopia, com maior risco de complicações como  pneumotorax("perfuração pulmonar") e hemotorax(" sangue na cavidade torácica) ,cujas ocorrências podem levar desde a necessidade de drenagem torácica após o procedimento e até cirurgia torácica em casos graves.


 

 BRONCOSCOPIA FLEXÍVEL                                                                                             

                        O exame de endoscopia respiratória                      (broncoscopia) possui objetivos diagnósticos e terapêuticos. Com ele, é possível visualizar “por dentro” os dois lados do pulmão, órgão vital respiratório, traquéia, cordas vocais, laringe. Pode ser realizado sob anestesia geral ou local, com ou sem sedação. O aparelho possui um conjunto de  frágeis e finas fibras óticas que permitem a visualização do interior da via respiratória até  um limite anatômico. A introdução é  feita por uma das narinas anestesiadas e em condições específicas, por via oral.

Orientações adicionais seguem abaixo:

-O paciente deve  vir com acompanhante que tenha mais de 18 anos e pelo menos com   8h de jejum (líquidos  inclusive).

-Trazer exames de imagem recentes (Tomografia, Rx, Ressonância de tórax)

-Trazer o termo de consentimento preenchido e assinado, fornecido com estas orientações;

-As medicações anti-hipertensivas devem ser tomadas normalmente, com pouca água se o horário for pela manhã(“um gole” pequeno );

-Avisar com antecedência (mínimo de 10 dias) se faz uso de  anticoagulantes ou antiplaquetários  como A.A.S (Aspirina®, Doril®), Gynkobiloba, Warfarin (Marevan®), uso de chás ou ervas medicinais,  para se avaliar a suspensão dos mesmos ou necessidade de exames.
-Trazer hemograma completo, TAP e PTT
                       De acordo com o  procedimento, após seu término, é freqüente ocorrer tosse, expectoração com sangue por alguns dias e eventualmente, ser necessário  realizar nebulização ou Rx.

                        Dúvidas adicionais devem ser esclarecidas com o médico executante